quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Pobre futebol mossoroense




Não é novidade para nenhum torcedor o declínio do nosso futebol, enquanto a cidade cresce a mil por hora com empresas privadas se consolidando e aquecendo a economia da mesma, a nossa dupla PotiBa segue em queda livre. Mas nos últimos meses, o pobre futebol mossoroensse foi lembrado pela a autoridade maior do estado a Governadora Rosalba Ciarlini que esteve em sua terra natal para assinar um protocolo de intenções para reforma do ex-estádio Nogueirão, no meu ponto de vista um grande passo para reestruturar o esporte na cidade, já que o torcedor vai ao menos poder voltar a assistir o seu clube do coração com o máximo de segurança e conforto, o palco do espetáculo vai renascer, no mínimo esperamos que saia realmente do papel. Mas tenho dúvidas também quanto aos artistas e suas produções, pois Potiguar e Baraúnas com muitos anos de histórias ambos conseguiram apenas um título estadual cada, o time príncipe se gaba de ter conseguido tal feito primeiro e o tricolor do Doze Anos comemora uma ótima campanha em uma Copa do Brasil onde eliminou o Vasco da Gama de Romário e Cia. No embalo de novos ventos do Estádio Prof. Leonardo Nogueira a dupla PotiBa se articula e começam as mudanças diretamente em suas diretorias para o próximo ano, Benjamim Machado continua na presidência do clube príncipe ,  a novidade fica por conta dos fortes abnegados que estão de volta para ajudá-lo e que na festa de lançamento de marketing e de apresentação dos jogadores prometeram que o centro de treinamento vai sair do papel (palavras do Diretor Jorge do Rosário). Já no time do Leão do Oeste mudou á presidência, sai o querido João Dehon e entra Eudes Fernandes (Extinchamas) um sangue novo e um nome muito querido por toda cúpula leonina. As duas equipes estão sendo formadas por jogadores que nunca passaram pela cidade de Santa Luzia, fórmula que funcionou quando nos anos de 2004 (Potiguar), 2006 e 2007 (Baraúnas) os dirigentes investiram em jogadores desconhecidos do futebol local. Fazendo uma analise preliminar desse início de temporada vejo com bons olhos o planejamento das duas equipes, começaram suas preparações cedo aonde assim vão diminuindo as margens para um erro futuro, uma fase de adaptação para os jogadores que chegam de outros centros do nosso país e até mesmo para aqueles que chegam de clubes das cidades vizinhas, pessoas ligadas ao Potiguar me passaram a informação que o elenco alvirrubro é muito forte são jogadores de muita qualidade, onde o Professor Fábio Giuntinni conseguiu detectar com o seu olhar clínico esse é o ponto alto dessa equipe, na contra mão do bom elenco vem à questão local de trabalho, coisa que vem dificultando o dia-a-dia de toda a comissão técnica. No lado tricolor vários jogadores chegaram, alguns de parcerias com outros clubes do país, o treinador Francisco Diá não quer contratações bombásticas, por enquanto apenas Ribinha vindo do futebol cearense vem com status de estrela, ainda não pude analisar melhor essa equipe, que tem três nomes incontestáveis pela torcida: Érico, Índio e Nildo todos do setor defensivo da equipe e com grande história dentro do time do povo. O que podemos afirmar de bom nesse início de temporada é o investimento feito na Toca do Leão, onde todos os jogadores ficaram alojados com o maior conforto no próprio centro de treinamento do clube. Potiguar e Baraúnas tem que querer mais, tem que ser mais, tem que buscar parceiros fortes e deixar de depender somente do dinheiro público, os seus gestores tem que renovar sair de vez da mesmice, espero e torço para que o pobre futebol mossoroense consiga ressurgir e alcançar vôos bem diferentes desses vários anos passados onde conseguiram apenas regredir.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário